A ideia de eternidade continua a povoar-lhe a mente. Não se cansa de dizer que gostava de viver para sempre e olha para mim na esperança de que lhe diga que sim.

– Gostava mesmo de viver para sempre.
– Mas sabes que ninguém vive para sempre.
– Mas eu gostava tanto!
– Há gente que vive durante muitos anos. Olha o Manoel de Oliveira. Viveu até muito tarde.
– Sim, até aos 106 anos. Mas não viveu para sempre.
Calou-se. Pensou durante uns instantes e voltou à carga.
– Já sei. Vou criar um comprimido que nos permite viver 300 anos. E quando as pessoas chegarem aos 299 anos, voltam a tomar o comprimido e vivem mais 300.
– Mas sabes que para isso tens que estudar muito. Para ser cientista é preciso estar com muita atenção na escola – aproveitei logo a boleia…
– E é preciso dinheiro. Vou começar já a juntar.

Anúncios