E quando eles não se cansam de limpar o salão? Eu até compreendo que lá vão com o dedo, uma ou outra vez. Afinal, todos o fizemos (e fazemos). Mas o que é demais aqui também enjoa. E cutucar a narigueta à procura de sei lá do quê a toda a hora ou andar constatemente a tirar macacos e a colá-los em toda a parte ou, pior ainda, a enfiá-los na boca, como se de uma iguaria se tratasse, isso já não me agrada mesmo nada. E nem mesmo um estudo da Universidade de Saskatchewan, no Canadá, que garante que comer macacos faz bem à saúde, ajudando a fortalecer o sistema imunitário, me convence.

De acordo com um artigo publicado na revista Parents, são três as formas e evitar que o dedo acabe por ir parar, invariavelmente, ao nariz.

1 – Lavar as mãos
Explicar aos miúdos o que são os germes e fazê-los lavar as mãos depois de cada limpeza de salão é um dos conselhos. Diz a revista que eles acabam por se cansar de tanta lavagem de mãos e desistem de levar o dedo ao nariz. Confesso que nunca experimentei, embora tenham sido muitas as conversas sobre os germes e a porcaria que o nariz esconde. Sem sucesso.
2 – Substituir o hábito
Há miúdos que parece que escolhem os momentos em que estão em frente à televisão ou quando estão a ouvir uma história para visitar o nariz. A revista aconselha a dar-lhes alguma coisa para fazer com as mãos nestes momentos. E manter os lenços por perto, para uma limpeza mais condizente com o nome. Mas cá em casa, todos os momentos são bons para limpar o salão.
3 – Esperar que passe
Parece que, quando entram para a escola primária, a coisa tem tendência a acalmar, já que os miúdos não querem arriscar serem alvo de gozo por parte dos colegas. Não posso dizer que isso tenham acontecido com o limpador de nariz cá de casa. Mais: acho que, juntamente com os colegas, fazem uma verdadeira equipa!
Anúncios