O meu puto fez-me um bruto arranhão na cara. É oficial. Aos 11 meses e uns trocos tornou-se no inevitável ingrato……..

Nada disso, o puto não é ingrato, é um puto fofo e que por isso mesmo começa a ter vontades muito intensas e a lidar mal com isso de quando em vez. Faz muita força quando quer uma coisa. Irrita-se um pouco e até é divertido vê-lo a fazer tanta força para que algo aconteça: cerra os dois punhos, cerra os dentes – ah esperem, não os tem ainda –, cerra os lábios e abana-se já que ainda não consegue fazer certas coisas ou ir aos sítios pelo seu próprio pé. Parece um verdadeiro seguidor da Força – de Star Wars. Faz-me sempre lembrar quando o Luke Skywalker faz muita força para o sabre de luz soltar-se da neve e vir para a sua mão. O meu puto é um seguidor da Força, espreme-se todo para que algo – aquilo que quer – aconteça. E quando não acontece arranha o pai em crescendo. O pai é a Força, neste caso, que lhe pode satisfazer os pedidos enquanto não corre solto pelo mundo – ainda precisa das minhas mãos para se movimentar ou alcançar certas coisas. Tudo isto dá todo um novo significado à expressão “trust the Force, Luke”. Neste caso é “confia no teu pai, puto” – SPOILER ALERT: embora o pai de Luke seja o Darth Vader, o que não é um bom exemplo de confiança.

O mesmo puto do arranhão na cara um dia depois estava a agarrar-se ao pai ‘querido’ com todas as suas forças (que são muitas!!) para não ir ao colo da auxiliar (de quem ele até gosta) e não ficar na creche. E chorou, claro, com todas as forças. Mas como pai galinha que ainda assim quer o melhor para o puto – que é independência moderada e não dependência -, respirei fundo e deixei-o no colo da auxiliar a chorar por mim. Dei-lhe uma festa de despedida e sai logo com esperança que acalmasse rápido rápido (normalmente acalma logo, que eu já fiquei à porta a ouvir). Desta vez não fiquei à porta a ouvir (até porque não se ouvia grande coisa), dei a volta para ir embora mas ainda fui à janela, sorrateiramente, espreitar (sem ser visto) para ver se já estava calmo. Estava. Uff. Pai galinha, ou a Força do puto (tal como a mãe, que também é a Mãe-Força do puto), já foi mais leve o resto do caminho. Isso e com o belo arranhão na cara, claro.

by ET

336646-19

Anúncios