Chama-se ‘Dab’. E embora seja, diz-me o Google, um movimento de dança que se tornou famoso nos EUA em 2015, lá a casa só agora chegou. Ou melhor, já chegou há uns tempos, mas agora está de facto implementado, fazendo mesmo parte da rotina do dia-a-dia (o mesmo é dizer, ele faz este movimento por tudo e por nada).

Quando o G. o começou a fazer – baixar a cabeça, ao mesmo tempo que se levanta um braço e um cotovelo -, ainda pensei que tivesse sido um daqueles movimentos que os jogadores de futebol tornam conhecidos e que eles gostam de copiar. E não estava totalmente enganada já que, diz-me também o Google, este gesto, que ele repete vezes sem conta, saltou para a ribalta na Europa por conta do Europeu de futebol do ano passado.

E foi assim que aprendi não só uma palavra nova – ‘Dab’ -, mas também um movimento de dança que, percebi eu rapidamente, é uma moda nova entre os miúdos (e acho que também entre os graúdos – sim, também eu já tive que fazer). E embora o rapaz nem seja dado a bailaricos (os movimentos de dança dele costumam ser tão graciosos como os de uma tábua), a verdade é que lhe apanhou o jeito.

Anúncios