Confesso que não foi um dos meus melhores momentos, mas enquanto esperava, dentro do carro, que a aula de música dele chegasse ao fim, decidi comer uma batatinha frita de um pacote acabado de comprar. Claro que não consegui comer apenas uma e o pacote ficou vazio. Escondi a prova do crime mas não foi suficiente. Assim que ele entrou dentro do carro disse:
“Está aqui um cheiro esquisito. Cheira a…” – e começou para ali a snifar, inspirando golfadas imensas de ar.
“A que é que cheira?”, perguntou ele. “Parece qualquer coisa salgado. Batatas?”
Eu desconversei. Fingi que não sabia do que se tratava. Mas com isto comprovei que os miúdos têm um faro realmente apurado!

Anúncios